Economia Circular

A economia circular se situa em contraste aos modelos lineares tradicionais do consumo do mercado de hoje, onde, 60 a 80% dos recursos são desperdiçados no final do percurso extração -produção - consumo. Essa nova maneira de concepção sobre os produtos e sobre o mercado exige uma abordagem inovadora aos negócios que podem ser resumidos em dois objetivos principais:

  1. Resolver, ao menos em parte, o problema de aproveitamento da matéria prima que, obviamente, não são infinitas, são de difícil acesso e têm custo crescente e muito variável.
  2. Limitar o desperdício na parte do sistema industrial, contribuindo assim, a diminuir o custo econômico e ambiental no processo de descarte de produtos cuja vida útil chegou ao fim, criando um circulo virtuoso na maneira de lidar com recursos finitos.

Há anos a empresa trabalha arduamente para reduzir impacto de sua produção própria no presente, que pensando no futuro fez de seu lema "Nós temos um sonho: um mundo sem desperdício" a própria visão da empresa. Não se trata apenas de um sonho, mas sim de uma mudança já em curso. Nesses últimos anos, a Valcucine têm proposto exemplos funcionais de economia circular:

  • As bases Invitrum, é o primeiro exemplo no setor de cozinhas que se preocupa com o futuro do produto e da matéria prima utilizada para compor o produto em si.
  • O sistema Meccanica, projetado pela Valcucine para ser um produto mais democrático, é um programa que faz uso de um quadro leve com juntas mecânicas de design inovador, reduzindo assim a quantidade de material utilizado e peso total do produto.

Tanto as bases Invitrum quanto o sistema Meccanica não usam colas em suas composições e montagem, garantindo portanto, nenhum traço de formaldeído. Ambas são facilmente desmontadas no final do ciclo de vida do produto e tem como destino a reutilização de 80 a 100% de seus componentes.